Games de Star Trek inspirados em Leonard Nimoy

Relembre os melhores games de Star Trek inspirados em Leonard Nimoy

por FELIPE VINHA (TechTudo) | Fev., 27 de 2015

.

Star Trek fez história na TV e nos cinemas, e nesta semana os fãs se despediram de Leonard Nimoy, o Sr. Spock, que faleceu aos 83 anos. Além dos filmes, seriados e quadrinhos, Spock também aparece em alguns jogos da série, ainda que nem todas as versões tenham sido interpretadas por Nimoy. Confira:

Confira o review de Star Trek

Relembre as aparições de Spock nos games (Foto: Divulgação)

Star Trek Trexels

Este jogo é o mais recente da lista e foi lançado apenas para dispositivos móveis. Nele o jogador acompanha a tripulação da Enterprise com gráficos em pixels, mas com bastante charme.

Star Trek Trexels para celulares (Foto: Divulgação)

A missão no game é construir uma nave e mantê-la forte, frente a exploração espacial. O jogo conta com narração de George Takei, outro astro de Star Trek, e também com personagens icônicos da série, como o Sr. Spock.

Star Trek Online

Star Trek Online é o MMO gratuito da saga cinematográfica e da TV. A história é original, mas o jogador pode criar seu personagem do zero, incluindo um Vulcano, a mesma raça de Spock.

Star Trek Online conta com Vulcans jogáveis (Foto: Divulgação)

O jogo não tem a participação direta de Leonard Nimoy, mas conta com a narração do ator  Zachary Quinto em algumas partes. Quinto viveu a versão moderna de Spock nos filmes mais recentes da saga Star Trek.

Star Trek Rivals

Star Trek Rivals é outro jogo de dispositivos móveis que foi lançado para a série, mas também inspirado nos novos filmes da saga. Aqui, Spock e o capitão James T. Kirk duelam em um jogo de cartas colecionáveis.

Star Trek Rivals (Foto: Divulgação)

O game é simples e gratuito, sem muitas pretensões de ser memorável, a ponto de usar personagens aleatórios e de diversos universos de Star Trek. Ele é inspirado no jogo Triple Triad, do RPG Final Fantasy 8, em termos de jogabilidade.

Star Trek

Outro jogo recente, lançado para PC, Xbox 360 e PS3, chamado apenas de Star Trek, também é inspirado pelos filmes recentes, mas Spock é um dos principais personagens desta saga – na verdade ele é parte da única dupla jogável, entre Spock e Kirk.

Star Trek, o jogo do filme (Foto: Divulgação)

Este game tem jogabilidade inspirada por Mass Effect, com ação em terceira pessoa e tema forte de sci-fi. Spock e Kirk realizam uma missão sozinhos, onde precisam contar com suas habilidades e conhecimentos, ainda que sempre ocorra uma sequência de ação. Apesar dos gráficos avançados, o game não tem uma história muito empolgante.

Star Trek (1971)

O primeiríssimo game da série saiu ainda na década de 70, apenas para computadores, e em texto. No jogo de aventura era preciso seguir comandos para avançar, sem gráficos modernos e sem a presença visual de Spock ou de Kirk, mas com menções e participações.

Star Trek de 71 (Foto: Divulgação)

O jogador administra a USS Enterprise por meio destes comandos e precisa interagir com os personagens clássicos. Apesar de não ter gráficos ou de ter uma jogabilidade praticamente estranha para os tempos modernos, fez sucesso entre os fãs na época.

saiba mais

 

Fonte: Techtudo

 

Leonard Nimoy, biografia

Leonard Nimoy

Biografia

Por Álvaro Barbosa (campo grande noticias) | fev. 27 de 2015

.

Leonard Nimoy na série de TV ‘Bonanza’. – Foto: Divulgação

Leonard Nimoy nasceu em 26 de março de 1931, em Boston, nos Estados Unidos. Filho de imigrantes judeus, vindo da Ucrânia, ainda criança se interessou pela dramaturgia, tendo aos oito anos de idade feito sua primeira aparição em uma peça de teatro, intitulada ‘Hansel e Gretel’.

Após, decidiu fazer aulas de teatro no Boston College, e ainda adolescente, aos 16 anos, decidiu sair de casa em busca de seu sonho, seguir carreira em Hollywood. Em 1952, Leonard Nimoy protagonizou o filme ‘Kid Monk Baroni’.

Entre os anos de 1953 e 1955 teve que se alistar no Exército, e após cumprir os deveres cívicos com a pátria, retomou sua carreira artística, tendo conseguido personagens secundários em alguns filmes e séries de TV.

Na década de 1960, Leonard Nimoy participou de inúmeras séries de TV de enorme sucesso de público e crítica, como ‘Bonanza’, ‘Os Intocáveis’, ‘Gunsmoke’, ‘The Twilight Zone’, entre outros, até coestrelar a série ‘Star Trek’ (Jornada nas Estrelas), quando ficou mundialmente conhecido, por dar vida ao cientista Sr. Spock, do planeta Vulcano, primeiro oficial da nave estelar Enterprise.

Em 2009, Leonard Nimoy foi o único dos remanescentes da série original de Jornadas nas Estrelas a ser chamado para participar do primeiro filme da nova franquia, intitulado ‘Star Trek: O Filme’. Em 2013, ele voltou a ser chamado para fazer uma participação no segundo filme, intitulado ‘Star Trek: Além da Escuridão’.

Até o momento os familiares e os assessores do ator não informaram sobre onde e quando serão realizados o velório e o sepultamento de Leonard Nimoy.

Com informações das Agências Reuters e Associated Press

.

Fonte: Biografia integrande da notícia “Morre nos EUA o ator Leonard Nimoy, o eterno Spock de Jornada nas Estrelas (Star Trek)” – Campo Grande Noticias.

Morre Leonard Nimoy

Morre o ator Leonard Nimoy, o eterno Spock de ‘Jornada nas estrelas’

Por o globo RJ | ATUALIZADO 27/02/2015

.

Leonard Nimoy, o lendário Spock, de “Jornada nas estrelas”, morreu nesta sexta-feira, aos 83 anos. O ator, que ficou famoso pela série e pelos filmes de ficção científica, estava em sua casa em Los Angeles. De acordo com a viúva do astro, Susan Bay Nimoy, o ator sofria de doença pulmonar obstrutiva crônica.

Nimoy anunciou no ano passado que sofria da doença, atribuída ao hábito de fumar, que ele manteve por anos, tendo abandonado o cigarro há mais de três décadas. Ele estava internado desde segunda-feira em um hospital na Califórnia.

Suas atividades artísticas — poesia, fotografia e música, além da atuação — iam muito além da Federação dos Planetas Unidos, mas foi como Sr. Spock que Nimoy virou praticamente um herói do folclore, dando vida a um dos personagens mais inesquecíveis da segunda metade do último século: um embaixador vulcano cerebral e impertubável, com suas orelhas pontudas e a célebre saudação, seguida do sinal com os dedos: “Vida longa e próspera”.

Nimoy dava aulas de atuação em seu próprio estúdio quando foi escalado para “Star Trek”, série de televisão exibida em meados da década de 1960. Mais tarde, ele disse ter desenvolvido uma “identificação mística” com o personagem, o estrangeiro solitário da nave estelar.

No entanto, ele também reconhecia a ambivalência de ser amarrado ao personagem, deixando isso claro no título de suas duas autobiografias: “Eu não sou Spock”, publicada em 1977, e “Eu sou Spock”, de 1995.

Na primeira, ele escreveu: “com Spock, eu finalmente achei o melhor de dois mundos: ser extremamente reconhecido pelo público e ainda assim ser capaz de continuar interpretando o alienígena isolado através do personagem de Vulcano”.

A TRAJETÓRIA DE LEONARD NIMOY

  • Leonard NimoyFoto: Reprodução

“Star trek”, que estreou na rede NBC em 8 de setembro de 1966, fez de Nimoy um astro. Gene Roddenberry, o criador da franquia, o chamou de “a consciência de ‘Star trek'” — um programa ora sério, ora exagerado que empregava o futuro distante (assim como alguns efeitos especiais primitivos para os padrões atuais) para abordar questões sociais dos anos 1960.

Seu estrelato perdurou. Embora a série tenha sido cancelada depois de três temporadas por conta da baixa audiência, a devoção dos fãs foi mantida, inclusive quando “Star trek” deu origem a um desenho animado, a várias outras séries e a alguns filmes estrelados por parte do elenco original, incluindo — além de Nimoy — William Shatner (como o Capitão James Kirk), DeForest Kelley (Dr. McCoy), George Takei (Sulu), James Doohan (Scott), Nichelle Nichols (Uhura) e Walter Koenig (Chekov).

A sua predisposição para entreter foi além de “Star trek” e atravessou gêneros. Ele estrelou a série de TV “Missão impossível” e frequentemente atuou nos palcos, como na peça “Um violinista no telhado”. Escreveu poesias e publicou livros de fotografia. Também dirigiu filmes, incluindo dois da franquia “Star trek”, além de séries de TV. E gravou álbuns, nos quais cantava canções pop, assim como músicas sobre “Star trek” — para o deleite dos fãs e o espanto dos críticos.

Mas tudo isso era pequeno perto do Sr. Spock, o membro mais complexo da equipe da Enterprise: uma criatura e um amigo que às vezes travava uma batalha entre as suas metades raciais.

Num dos episódios mais marcantes, Nimoy buscou inspiração em dois atores que admirava, Charles Laughton e Boris Karloff, ambos intérpretes de personagens monstruosos — Quasimodo e Frankenstein — que são transformados pelo amor. No episódio 24, exibido pela primeira vez em 2 de março de 1967, Spock realmente se transforma. Sob a influência de esporos afrodisíacos que ele descobre no planeta Omicron Ceti III, liberta seu lado humano e anuncia seu amor por Leila Kalomi (Jill Ireland), uma mulher que havia conhecido na Terra. Nesse episódio, Nomoy levou à metamorfose de Spock não só carinho e compaixão, mas também um conceito rarefeito de alienação.

“Sou o que sou, Leila”, declarou-se o Sr. Spock. “E se houver purgatórios criados por nós mesmos, então todos nós temos que viver neles. Os meus não podem ser piores que os dos outros.”

Nascido em Boston em 26 de março de 1931, Leonard Simon Nimoy foi o segundo filho de Max e Dora Nimoy, imigrantes ucranianos e judeus ortodoxos. Seu pai era barbeiro. Quando fez 8 anos, Leonard atuou em produções locais, conquistando papéis numa escola da comunidade. Em 1949, depois de um curso de versão no Boston College, foi até Hollywood, embora só depois de 1951 tenha conseguido emplacar papéis pequenos em dois filmes, “Queen for a day” e “Rhubarb”.

Ele continuou sendo escalado para filmes desconhecidos, embora ele tenha, talvez de forma premonitória, interpretado um alienígena numa série cult chamada “Zombies of the stratosphere”. Em 1961, fez uma pequena participação em “Além da imaginação”. Seu primeiro papel como protagonista veio em 1952, em “Kid Monk Baroni”, no qual viveu um criminoso desfigurado que se torna um boxeador.

Ele dirigiu ainda a bem sucedida comédia “Três solteirões e um bebê” (1987), uma investida bem diferente de seu trabalho na ficção científica, e apareceu em filmes feitos para a televisão. Recebeu uma indicação ao Emmy por “Golda” (1982), em que viveu o marido de Golda Meir, a primeira-ministra de Israel, encarnada por Ingrid Bergman. Foi a sua quarta indicação ao Emmy — as outras três foram pelo seu trabalho em “Star trek” —, mas ele nunca chegou a vencer o prêmio.

O casamento de Nimoy com a atriz Sandi Zober acabou em divórcio. Ele deixa dois filhos, Adam e Julie Nimoy; um enteado, Aaron Bay Schuck; seis netos; um bisneto; e um irmão mais velho, Melvin.

Fonte: O Globo © 1996 – 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Nimoy hospitalizado no UCLA Medical Center

Nimoy novamente hospitalizado (Atualizado)

 .

nimoy doenteLeonard Nimoy foi levado às pressas para o hospital depois de fortes dores no peito. Foi relatado pelo TMZ que o veterano ator foi transportado para o UCLA Medical Center, em Los Angeles na quinta-feira, 19 de fevereiro. Ainda segundo o site, os paramédicos foram chamados a residência de Nimoy e acharam melhor levá-lo a um médico o mais rápido possível. O interprete de Spock tem dado entrada nos hospitais várias vezes nos últimos meses. Nimoy revelou que estava sofrendo de DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica), apesar dele ter parado de fumar há mais de 30 anos. No momento não há nenhuma palavra ainda sobre o seu estado. Nimoy está com 83 anos.

Atualizado.

Com a notícia de Nimoy hospitalizado, seus companheiros da série original manifestaram, através da mídia, apoio e desejos de bom restabelecimento para o amigo e companheiro de elenco.

William Shatner e George Takei desejaram a Nimoy uma rápida recuperação pelo Twitter. Shatner também teve tempo para expressar sua apreciação por todo o apoio que os fãs e colaboradores de Nimoy tem enviado.

 “Me sinto edificado pela demonstração de amor e carinho twittado ao meu querido amigo @ TheRealNimoy . Associo-me ao coro de simpatizantes para uma rápida recuperação!”
“O meu amigo e colega Leonard Nimoy ( @ TheRealNimoy ) foi hospitalizado com dores no peito. Junte-se a mim para desejar-lhe uma rápida recuperação”.
Fonte: TB

IDW lança capas de comics

IDW lança capas dos comics Star Trek edição maio

 .

resistance TOSIDW Publishing continua publicando seus comics baseados em Jornada nas Estrelas, como as coleções Star Trek/Planets of Apes, Star Trek ongoing e Star Trek: New Visions. A editora antecipou as capas das edições de maio destes quadrinhos para você ter uma ideia do que terá pela frente.

Star Trek: New Visions

O mais interessante de todos é o mais recente Star Trek: New Visions, uma aventura pelo escritor e artista John Byrne.

“Star Trek: New Visions” é uma série em quadrinhos com fotomontagem produzido por John Byrne . Ele usa imagens da série original para inseri-las em outras histórias definidas por ele durante a série.

StarTrek_NVision 1

Quatro edições já foram lançadas: ” The Mirror, Cracked”, “Time’s Echo”, “Cry Vengeance”, “Made Out of Mudd”.

“A Scent of Ghosts” está prevista para março.

Agora, a editora antecipa a capa da edição de maio que promete ser intrigante.

“Resistance” retrata o que parece ser um encontro com os Borg! O comic terá 48 páginas de puro mistério.

resistance

Star Trek Ongoing.

A missão de cinco anos pelo universo alternativo de Star Trek vai continuar na coleção Star Trek ongoing. Após os eventos de “The Q Gambit”, Kirk e sua tripulação enfrentarão novas aventuras em espaço profundo em sua edição número 43, com lançamento previsto para março. Com a sinopse: “o capitão Kirk e a tripulação da Enterprise se encontram no espaço inexplorado na sua missão de exploração de cinco anos … mas uma nova ameaça alienígena pode terminar sua jornada prematuramente!”, o autor promete uma história nova e ao estilo da série clássica.

Star Trek # 45, Eurydice, Part 3 (arco de três partes) previsto para maio teve uma capa antecipada pela IDW. De acordo com uma sinopse prévia vemos Kirk e sua tripulação presos no Quadrante Delta, lutando por suas vidas, a fim de escaparem das garras do sindicato Dark Market. Eurydice, Parte 3, é escrito por Mike Johnson, supervisionado por Roberto Orci, e apresenta a arte por Tony Shasteen e uma capa de Joe Corroney.

ST-movieII 45-cover

Original de Harlan Ellison

Outro produto para os fãs saudosistas e aqueles que apreciam uma boa história de ficção está sendo lançado em breve pela IDW.

Trata-se do clássico “City on the Edge of Forever”.

O episódio da série original “City on the Edge of Forever” é considerado por muitos (incluindo uma enquete da TV Guide dos “100 Melhores Episódios de TV de todos os tempos”) como o melhor episódio de Jornada.

História original de Harlan Ellison foi modificado antes do episódio ser filmado, mas agora, finalmente, os fãs podem desfrutar de seu conto na íntegra: Harlan Ellison’s City on the Edge of Forever: The Original Teleplay.

Harlan Ellison’s City on the Edge of Forever

Fontes: Star Trek.com – TB

Zachary Quinto e Star Trek 3

Zachary Quinto fala sobre Star Trek 3

 .

zach spock 2Ao longo dos últimos anos, Zachary Quinto tem cultivado uma das carreiras mais elásticas em Hollywood. Capaz de usar seus talentos para atingir as extremidades do espectro de filmes, desde blockbusters como Star Trek, até independentes como Margin Call. Em breve será visto na minissérie da NBC, The Slap, fazendo um homem que, num acesso de raiva, dá um tapa em um filho de seu amigo e tem que lidar com as consequências. O site Nylon conversou com o ator que falou sobre seu trabalho atual, Star Trek 3 e sua amizade com Nimoy.

Teatro, cinema, televisão – está em constante mudança. Existe um paradigma de carreira que você está buscando?

Quinto: Se eu estou em um caminho conscientemente, é um caminho de bom material e de pessoas boas e dinâmicas, envolventes, que trabalham. Onde isso ocorre é secundário. Para mim, voltar para o palco é algo que eu já estou ansioso para fazer e comprometido a fazer. Comecei no teatro e não fiz interpretações por muitos anos, porque estava perseguindo minha carreira em Los Angeles. Mas eu tenho sido capaz de fazer isso e ter mais experiências como isso. Estou muito grato.

The Slap é uma mostra tão incomum para a rede de horário nobre.

Quinto: É bastante singular na sua forma. Para a NBC, uma rede de transmissão estar contando esse tipo de história, é tema no qual creio que muita gente iria associar a uma rede de cabo, e também ela é uma série limitada. Tem apenas oito episódios. É uma das coisas mais legais com que eu já trabalhei em um longo tempo. Sinto-me feliz quando eu vou para o trabalho. Quando eu penso sobre a série, eu quero mergulhar na experiência. Isso nem sempre acontece.

Alguma palavra sobre Star Trek 3 ?

Eu não sei de nada. Eu não li um script. Justin Lin está dirigindo, eu li isso. Eu estou esperando por eles se reunirem e nos darem uma chamada, eu tenho certeza que será muito em breve.

E quanto a mudança de diretores? 

Estou totalmente aberto para a mudança. Eu acho que todos nós estamos, mas tenho certeza de que haverá um período de adaptação para todos. Há uma presença comandando no cenário e, certamente, sobre o cenário que nós construímos. Vai ser uma paisagem diferente, que eu acho que todos nós somos capazes de fazer e estou ansioso para navegar com Justin. Estou ansioso para conhecê-lo e me conectar com ele. Eles estão apenas começando a se prepararem. Ele está se alinhando com os escritores e todo mundo está calibrando e está tudo em andamento.

Fale sobre o seu relacionamento com Leonard Nimoy. 

Meu relacionamento com Leonard tem evoluído para além de qualquer tipo de comentário que fizemos sobre o filme ou o personagem. Nós nos tornamos muito, muito amigos pessoais e sua presença na minha vida foi provavelmente uma das melhores coisas fora da experiência de Jornada, além do outro elenco e do filme. É a única coisa que eu nunca esperava, que Leonard e eu nos tornássemos amigos íntimos. Eu realmente respeito-o e admiro-o.

Fonte: TB

Shatner 0 x 1 Star Trek3

Shatner não acredita que estará em Star Trek 3

 .

kirk 2William Shatner causou um grande rebuliço nas redes sociais e na mídia ao comentar sobre uma possível participação sua na terceira sequência de Star Trek 3. Após isso, o velho Bill permaneceu em silêncio. Agora, com exclusividade ao Nation Dish, o veterano ator revelou que não sabe nada sobre o novo filme e provavelmente não acredita em um retorno a franquia.

Há apenas três meses, Shatner twittou a seguinte mensagem: “Eu estou de volta!”, Insinuando que ele estaria retornando como o Capitão James T. Kirk na tela grande e alguns dias depois, confirmou que havia se encontrado com o então diretor Roberto Orci.

Mas em 05 de fevereiro, em sua cerimônia anual do Priceline no Hollywood Charity Horse Show Gifting, Shatner disse ao Dish que por Orci ter deixado o projeto agora, ele acredita que poderá não estar mais no filme.

“Eu não sei de nada. Você sabe mais sobre isso do que eu”.

“Eu não conheço mesmo o cara que está escrevendo. Eu sei que o diretor foi desligado, alguém estava escrevendo … Eu não tenho nenhum conhecimento prévio. Estou completamente no escuro. Vou dizer sinceramente, ninguém falou comigo sobre qualquer coisa, nem deverão”

Para aumentar a confusão sobre o seu envolvimento em Star Trek, Shatner disse ao site que ele está trabalhando em seu próprio projeto para Jornada.

“Agora, eu estou planejando uma série de aniversário de 50 anos. Estou planejando isso, e de modo algum isso foi comercializado ainda”, disse ele.

“Mas essa é a minha única comunicação com Jornada”

Quando perguntado se iria se reunir com atores como Leonard Nimoy, Walter Koenig e George Takei , ele respondeu:

“Não há nenhuma reunião”.

“Parte da gangue nos deixou. Meu pensamento é que Jornada teve uma série de lições e não ao contrário de The Clangers (programa infantil de TV britânico dos anos 60) – para um grupo mais velho de pessoas. E é dessas lições, essas idéias, essas coisas novas que a ficção científica olha para o futuro que Jornada teve. Essa é a coisa que eu gostaria de enfatizar”.

O personagem de Shatner usou aparelhos como celular, GPS e gravador de voz digital na série, e ele sente que sua nova série deve refletir essa visão e ambição.

“Isso e uma enorme quantidade de pessoas tiveram suas vidas mudadas, como resultado de assistir Jornada. Além disso, eu faço um monte de documentários”

“Estou planejando um novo documentário com a NASA. E um dos astronautas ontem me disse: “Minha vida mudou quando minha mãe estava assistindo Jornada e eu, uma criança, me escondendo atrás de um sofá tive um vislumbre de você como o Capitão Kirk que mudou a minha vida”. Esse é um dos astronautas com quem estou trabalhando”. “

A história de Shatner com Jornada tornou-se complicada depois que seu personagem morreu em Star Trek Generations na década de 90.

Quando o J.J. Abrams fez Star Trek, e Leonard Nimoy retornou como Spock, Shatner teve uma chance de aparecer no filme. Uma revelação de Orci dizia que havia uma cena no roteiro (depois retirada) em que Shatner aparecia como uma mensagem holográfica. Agora que Justin Lin assumiu como diretor, o retorno de Shatner está na balança.

Versátil e filantropo, Shatner confirmou que a Priceline.com e o Wells Fargo estão se unindo novamente para sediar a 25ª Hollywood Charity Horse Show, em abril.

Shatner, aos 83, entregou cheques para instituições de caridade apoiadas pelo programa anual em um evento privado no Six Restaurant em Studio City, Los Angeles.

Fonte: TB

Comic Con em Dubai

Shatner e Urban no Comic Con em Dubai

 .

shatner urbanMiddle East Film e a Comic Con vão oferecer duas presenças muito especiais, nos Emirados Árabes. William Shatner e Karl Urban já confirmaram presença no evento que ocorrerá no início de abril. O Dubai Comic Con vai oferecer 35 por cento mais ingressos em comparação ao ano passado, e será realizado de 09 a 11 de abril no World Trade Center Dubai Zabeel Hall. “A nossa promessa é sempre Maior, Melhor e Mais louca do que nunca”, disse Ben Caddy, o diretor-gerente do evento, em um comunicado divulgado à imprensa. Quem sabe não teremos alguma novidade por lá?

Fonte: Alrabiya News – TrekBrasilis (TB)

Pegg ajuda Abrams em script de Star Wars

Star Trek 3: Abrams cita ajuda de Pegg no script

 .

abramsJ.J. Abrams fez uma pausa em seu trabalho de pós-produção do filme Star Wars: O Despertar da Força para assistir a cerimônia do Visual Effects Society Awards, em Los Angeles na noite de quarta. O site Collider aproveitou a oportunidade e conversou com o cineasta sobre Star Wars e a escrita de Star Trek 3.

Durante discussão sobre o trailer de Star Wars, Abrams revelou que continuará envolvido na franquia de George Lucas, como produtor executivo do Episode VIII e IX, mas que, pelo menos, o Episode VIII pertence ao escritor e diretor Rian Johnson.

Finalmente, Abrams respondeu a uma pergunta referente à Star Trek 3, quanto a Simon Pegg ter recentemente sido anunciado como co-escritor do filme.

“Pegg e eu conversamos um pouco sobre a história, ele tinha um monte de idéias maravilhosas. Vai ser apenas uma espécie de feltro óbvio por ele ser uma pessoa maravilhosa para trabalhar a história e ajudar a elaborar a história, por isso ele está trabalhando nisso”

JJ estará presente no próximo Comic Con para falar sobre seu filme.

Fonte: TB

Patrick Stewart poderia reviver Picard

Stewart diz que faria novamente Picard

 .

patrickJá se passaram quase treze anos desde que o veterano ator Patrick Stewart fez pela última vez o papel do capitão Jean-Luc Picard, em 2002, no filme Star Trek: Nemesis. Será que ele reprisaria esse papel novamente? De acordo com uma resposta que deu no Facebook, poderia sim, se o script e a situação estivessem de acordo.

Durante uma sessão de bate papo na página Facebook do Entertainment Weekly, Stewart falou sobre seus trabalhos recentes e antigos e não poderia de deixar de comentar sobre A Nova Geração. Veja o que ele falou sobre Jornada. 

“Absolutamente sim …”, respondeu Stewart à pergunta de um fã sobre voltar ao papel de Picard, “se fosse realmente um bom script. Mas, a pobre alma está ficando velho, idoso. Ele provavelmente iria precisar de alguma ajuda para montar seu cavalo ao contrário do capitão jovem de 30 anos atrás”.

Levando em consideração a idade, outra fã perguntou quem pensaria que seria uma boa escolha para interpretar um jovem Picard, “Eu teria que dizer que ele deveria ser meu filho, Daniel Stewart”, respondeu ele.

Se fosse a vida real o que você programaria no Holodeck? “É fácil: me colocaria dirigindo um carro de corrida de Fórmula 1 no Grad Prix de Monoco e apenas bateria no Lewis Hamilton e ganharia do Jenson Button por um nariz (a minha preferência).

Fonte: TB

Simon Pegg roteirista em Star Trek 3

Star Trek 3: Simon Pegg e Doug Jung co-roteiristas

 .

peggOs rumores publicados no site Trek Brasilis há dois dias foram confirmados pelo site Deadline. O ator Simon Pegg, que interpretou o engenheiro Scott nos dois últimos Star Trek foi escolhido para escrever o roteiro do terceiro filme. Mas não estará sozinho nesta tarefa, ele vai co-escrever com um jovem roteirista, Doug Jung.

O início da pré-produção de Star Trek 3 tem sido bastante conturbado. Os rumores começaram a correr logo que foi divulgada a saída de Roberto Orci como diretor.

Depois que foi escolhido Justin Lin na direção, novos boatos davam conta de que o roteiro de Orci não havia sido aprovado pelo estúdio. Agora, temos a surpreendente informação da troca também de roteiristas.

Com a confirmação de Simon Pegg e Doug Jung novos questionamentos surgem:

A Paramount anunciou a liberação do novo longa para o ano de aniversário da franquia (2016), mas não sabemos se isso irá acontecer, diante do fato de que estes escritores estão sendo anunciados agora.

Ainda mais estranho é a notícia de Pegg e Jung como roteiristas ter sido feita pelo irmão de Doug, Mike Jung, através do tumblr e do twitter, só recebendo cobertura da mídia especializada agora.

Será que o início das filmagens se dará mesmo em 15 de abril?

Será que isso significa que Pegg vai dar a si mesmo um papel mais amplo?

Orci ainda está no comando?

Pegg certamente tem créditos como roteirista para apoiá-lo neste trabalho. Com Edgar Wright diretor, ele ajudou no script da trilogia Cornetto consistindo de Shaun of the Dead, Hot Fuzz e Fim do Mundo , bem como Run Fatboy Run. Além de outros trabalhos em Heróis de Ressaca, Paul – O Alien Fugitivo, Maratona do Amor , Chumbo Grosso, entre outros.

Doug Jung é conhecido por seus roteiros de TV, incluindo os de uma série que ele criou, Dark Blue. Recentemente, Jung escreveu para Bad Robot e Paramount um filme chamado Diamond.

O Trek Brasilis estará atento para os desdobramentos desta produção.

Fonte: Trek Movie

ATUALIZADO – Fonte: TB

No Twitter, a conta oficial de Simon Pegg acaba de anunciar:

CW (Warner) espera ter Star Trek em nova série no Ar

Presidente da CW espera ter nova série de Jornada

por Ralph Pinheiro | janeiro 13, 2015
 .

O presidente da emissora CW, Mark Pedowitzrevelou que está ansioso para a rede botar no ar uma nova série de Jornada. A franquia tem estado ausente da televisão há 10 anos, após o cancelamento de Enterprise em maio de 2005. Veja mais detalhes a seguir.

A CW é uma rede de televisão aberta nos Estados Unidos, lançada durante os anos de 2006 para 2007. Seu público-alvo é composto de jovens e adultos, é um joint venture entre a CBS Corporation e a Warner Bros.

Durante a Sessão Executiva na Television Critics Association foi perguntado a Pedowitz se estaria interessado em Jornada se tornar disponível na sua emissora, “Como um fã de Jornada ao longo da vida, eu espero ter Jornada na CW”, disse à imprensa.

“Espero que seja liberada e nós seremos capazes de olhar para ela como uma série de TV”.

Mas ressalta que essa é uma conversa para se ter em um momento diferente e num ponto diferente, “no momento há um lançamento de filme”, ​​disse acrescentando, “Mas, eu não tenho ouvido nenhuma discussão sobre isso sair como uma série de TV”.

Fonte: TrekToday – DigitalSpy – TB

Shatner vai cruzar EUA em moto futurista

William Shatner vai cruzar EUA em moto futurista

 .

rivet-oneNós ainda não sabemos com certeza se o veterano ator William Shatner vai aparecer no próximo filme de Star Trek, mas se o fizer, ele vai ter que se encaixar entre as filmagens e dirigir pelos EUA em seu cruzeiro numa máquina futurista construída pela empresa American Wrench.

Em dezembro, Shatner postou um link para sua página no Facebook sobre o Rivet, que ele chamou de “o futuro da moto”. Ele está construindo em parceria com a empresa de motocicletas americana Wrench, sede em Illinois.

O produto desse trabalho é a Rivet One, um novo tipo de veículo que combina a emoção de uma motocicleta, mas com algum conforto e segurança que você gostaria de ter em um carro. Assim, embutiram esses elementos em um design de uma máquina de três rodas, com carroceria de alumínio, e um motor V8.

A parceria surgiu quando um funcionário da American Wrench estava em uma fila de autógrafos de Shatner e sugeriu a ideia de construir uma motocicleta.

rivet 1

rivet 2

Shatner está colaborando com funcionários da empresa no projeto, e que, segundo ele, vai ter todos os tipos de coisas inovadoras que as motocicletas não têm agora – o pára-brisa , o armazenamento, a maneira como dirige, o sistema de transmissão, até mesmo a suspensão e um assento de passageiro.

“A Rivet, vai combinar a experiência de andar de moto, dirigindo um carro de alto desempenho e com a sensação de voar na estrada aberta”, de acordo com um engenheiro da Wrench.

Shatner brinca, chamando-a de “land jet”, no entanto, a coisa é séria. Shatner diz que vai dirigi-la de Chicago a Los Angeles neste verão, fazendo a propaganda do produto. Acrescentou ainda que vai produzir o Rivet One para compradores privados e está trabalhando em um modelo menos caro, que seja mais popular.

“Eu estive em todo o país, em carros esportivos, em caminhões, com um cão, com uma família, mas eu nunca cruzei o país em uma motocicleta. Eu quero fazer isso, e eu vou fazer isso nesta nova motocicleta Rivet. Por que você não vem comigo?”, disse o velho Bill.

Análise, Sr. Spock?

Fonte: AutoBlog – TB

10 dicas para Star Trek 3

Site dá 10 dicas para Star Trek 3 ser um sucesso

 .

enterprisewarpNa espera por mais novidades quanto a nova sequência de Star Trek, começamos o ano com uma discussão referente a que caminho o próximo filme deverá seguir, uma vez que Justin Lin será o diretor e Orci está fora do roteiro. A Paramount confirmou a estreia para 8 de julho de 2016. Que história teremos para o ano de aniversário da franquia? O site What Culture, entrou nessa discussão e deu 10 dicas de como este filme pode alavancar a franquia de vez.

“A reimaginação de  Jornada por J.J. Abrams foi relativamente bem em termos de reintroduzir uma franquia envelhecida para uma nova audiência. Ao andar na corda bamba, Abrams procurou ser fiel ao espírito original da série e ao mesmo tempo caminhou por conta própria”, disse o site What Culture.

Apesar da segunda sequência ter deixado uma sensação de frustração para alguns fãs, a nova audiência (fora dos EUA) não se importou muito, e elevou a bilheteria em todo o mundo.

Portanto, no 50º aniversário da franquia, não pode fazer feio. Existe um universo rico para novas e boas aventuras.

A notícia de que Justin Lin sentará na cadeira do diretor, o afastamento de Orci da direção e roteiro, além do rumor de que o estúdio quer um filme nos moldes de “Os Guardiões da Galáxia” deixou um receio nos corações de quem esperava uma abordagem mais cerebral.

Mas, na opinião do site, existe um meio termo entre fazer o próximo longa-metragem mais “Trekkie” e manter o estilo visualmente mais atraente dos dois últimos filmes. “Justin Lin pode ou não gostar da franquia, mas é de se esperar que ele a tratará com respeito”, diz o autor do artigo.

Abrindo a discussão sobre o que seria melhor para o próximo filme, o What Culture enumerou 10 pontos de interesse para os roteiristas e o Sr. Lin que poderia tornar a terceira sequência um sucesso maior.

  1. Um capitão forte

kirk capitãoO Kirk de Chris Pine era impulsivo, infantil e o personagem não pareceu ter crescido a partir do garoto, que jogou o carro de seu padrasto num penhasco.

Depois de tudo que o passou, para esta nova história, o capitão da nave mais nova da Frota deveria ser alguém mais calmo, comedido, ter uma confiança que inspira outros a segui-lo.

No próximo filme, a Enterprise está em plena missão de cinco anos para o desconhecido (considerando o comic da IDW). Então, este novo filme deveria ter um capitão experiente e mais crível para começar a reparar os erros dos dois primeiros filmes.

Passou tempo suficiente, e muitas experiências ocorreram, Kirk agora pode calçar sapatos maiores.

  1. Um Spock mais lógico

spock logicoSpock, na série original, foi sempre muito consciente do seu lado humano e constantemente lutou para mantê-lo sob controle. Liberar emoção foi doloroso e vergonhoso para ele, demorou situações extremas para mostrar flashes da humanidade genuína.

Zachary Quinto foi uma excelente escolha e seu Spock está quase lá. A relação entre ele e Kirk na série original foi construída na confiança e experiência compartilhada.

Nos novos filmes, até agora, o relacionamento tem sido de atritos, desconfiança e com um subterfúgio tardio, e um pouco inacreditável, de reconciliação. O que é necessário no próximo filme é um sentido de história compartilhada e respeito mútuo.

Apesar da morte de sua mãe e da perda de seu planeta, o personagem precisa voltar às suas raízes. O capitão Kirk teve que bater no Vulcano para Spock voltar a si na série original e bater na emoção dele no primeiro filme da reinicialização. Spock precisa parar de bater em si mesmo e voltar a ser o duende de sangue verde controlado e sarcástico que todos nós conhecemos e amamos.

  1. Nova história com mais coração e cérebro

tripulaçãoA maior queixa dos fãs sobre estes filmes de J.J. Abrams é que eles contem mais ação do que nos filmes antigos. Não há coração e cérebro, principalmente na segunda sequência onde os eventos convergem em uma massa de explosões.

O terceiro filme deve contar uma história. Essa história precisa ter relevância para o mundo em torno de nós e dar um pouco de esperança do que a humanidade pode encontrar de uma maneira melhor. Além da Escuridão era para ser sobre o terrorismo, ainda assim não conseguiu direcionar qualquer solução potencial. A Federação e a humanidade apresentadas não são a sociedade avançada que aspiramos como mostrado na linha de tempo original.

As audiências não são tão estúpidas como alguns estúdios acreditam e há um desejo sim de aventura sci-fi de uma forma mais cerebral. Uma bem traçada e inteligente trama focada nos personagens para cimentar as relações da equipe, se impõe agora mais ainda do que outro filme pipoca.

O 50º aniversário merece mais do que isso.

  1. Um pouco mais dos Klingons

klingonA breve introdução dos Klingons em Além da Escuridão foi bem-vinda e emocionante, mas os guerreiros ferozes foram mortos muito facilmente. A maquiagem e próteses foram excelentes e o antigo inimigo pareceu tão assustador quanto antes. Parece uma aposta justa se tiver um passeio maior no terceiro filme, e que deveria ser uma boa notícia.

Na linha de tempo original não havia estado de guerra aberta entre a Federação e o Império Klingon, mas Além da Escuridão define claramente o próximo filme para um conflito. Talvez o terceiro filme possa tomar um rumo um pouco diferente e ter uma paz inquieta no lugar, com a Enterprise descobrindo alguma trama aparente Klingon.

Vendo mais da espécie Klingon, cultura e relações internas, seria divertido, contanto que não ande muito longe com em Star Wars. Mas é certo que mais tempo de tela deve ser dado à raça guerreira para mostrar a justaposição nas abordagens. Vendo um maduro e confiante Capitão Kirk negociando o seu caminho através de um problema que pode ser apenas o que o médico receitou.

  1. Inimigo interno

admiral marcusAlém da Escuridão foi baseada em torno da ideia de que centenas de membros da Frota Estelar construíram a maior nave da história e ninguém notou. Isto foi, obviamente, ridículo, mas a ideia de um informante dentro da Frota Estelar é interessante. Talvez um simpatizante Klingon ou agente secreto, talvez algum personagem que mostre como a humanidade está agora e seja um espelho para a sociedade.

Isso teria que ser tratado com delicadeza ou correria o risco de ser uma pantomima, mas se feito corretamente, pode ajudar a mostrar como a ganância e a desconfiança podem ser superadas. A melhor parte de Jornada era sempre quando ela refletia a sociedade de uma forma pós-referencial, zombando de nossa barbárie atual e relativa imaturidade como uma espécie. A expectativa é de que a missão de cinco anos seja bem encaminhada para que haja bastante espaço para que nostálgicos, cansados e traumatizados tripulantes se rebelem contra a Frota Estelar. Talvez uma insurgência de pacifistas que sentem que a Frota Estelar é nada mais do que uma organização militar, democracia com conotação vagamente imperial.

Ou, em uma veia mais humana, talvez um personagem que se sinta lesado pela rápida ascensão de Kirk, um ex-colega de classe com ciúmes ou intenção oficial superior em fazê-lo cair. Isso pode ser muito perto da história de Finney (episódio “Court Martial”), porém, em uma coisa a produção deveria evitar no próximo filme;  referências constantes às encarnações anteriores.

  1. Ir Audaciosamente onde Nenhum Homem Jamais Esteve

enterpriseO próximo filme realmente precisa esculpir o seu próprio caminho e ter seu próprio mérito. Uma vez que os personagens estão mais bem estabelecidos e mais formados, é a história que deve tomar o centro do palco. Não há nenhuma razão para que a ação e a narração de histórias cerebrais não possam coexistir. A produção deveria ser corajosa o suficiente para fazer um filme envolvente e emocionante, isso permitirá a Lin definir seu filme à parte.

Enquanto muitos vão chorar por um retorno aos velhos inimigos, personagens antigos e histórias referenciadas, uma abordagem mais ousada deveria esculpir um caminho totalmente novo. Como mencionado anteriormente, o caráter dos principais protagonistas fez necessário aproximá-los da série original, mas novas experiências deveriam, obviamente, levar a diferentes personalidades.

Somos todos um produto de nossos genes e de nosso ambiente, então pedir a Kirk e Spock que sejam dadas disposições mais reconhecíveis (com os da série original) não significa que eles não devam ser capazes de esticar em novas direções.

O caminho conceitual do primeiro filme foi bem e seguiu mais a fundo, por isso faz sentido para a tripulação apenas ir em outro rumo. Sim, tem os Romulanos e Klingons, mas a dinâmica pode ser completamente diferente devido a alteração da história por Nero. O cânon não foi jogado fora, mas a maioria do que tem lá, deveria ser retalhado.

  1. “É vida, Jim. Mas não como a conhecemos”

NibiransNa série original e nas demais séries, havia uma infinidade de espécies novas introduzidas toda a semana. Seria bom ter um filme com novas, poderosas e perigosas espécies para adicionar ao cânon.

Como observado anteriormente, as indicações são de que o próximo filme terá lugar no espaço profundo. É totalmente improvável que a nova tripulação siga o mesmo caminho e conheça exatamente as mesmas espécies homólogas da série original, então há muito espaço para a imaginação.

De acordo com a tradição de procurar novas formas de vida seria divertido fazer exatamente isso. Como observado anteriormente, os Klingons tem que ter o seu lugar, mas eles não tem que ser todo o foco. Talvez a nova espécie represente uma ameaça para ambas as espécies e eles tenham que trabalhar juntos, talvez os Klingons venham a tentar trair a Federação, talvez ambos disputando o controle ou relações diplomáticas com o novo poder no setor.

Existem muitas opções, mas uma nova espécie é uma obrigação. O maior estímulo que Jornada teve desde o seu retorno com A Nova Geração foi com os Borgs. Isso não quer dizer que eles deveriam fazer uma aparição, articular mais e pensar com ousadia, pode levar a grandes coisas.

  1. Espaço, a Fronteira Final

espaçoMuitas das antigas histórias de Jornada, e histórias de ficção científica, em geral, foram contadas com a Terra em perigo. Estar fora em uma missão no espaço profundo deve permitir que o filme possa respirar e lidar com questões que afetam os seres humanos, em vez da humanidade.

Com todas as maravilhas da ciência que nós descobrimos desde os dias da série A Nova Geração e da natureza exploratória da Frota Estelar, há potencial para um sabor no estilo da dura realidade das viagens espaciais de Interstellar, bem como expondo a beleza do universo.

Afastar-se da Terra, ter uma viagem no espaço e mostrar a vulnerabilidade de estar fora no grande, negro, e vazio sem fim. Um filme “O barco – Inferno no Mar” para o mundo Sci-Fi? Fora do alcance mais distante do espaço explorado apenas com ciência, inteligência e treinamento para ajudar a nossa valente tripulação a sobreviver? As batalhas claustrofóbicas de A Ira de Khan foram remanescentes, na ocasião, de dramas de submarinos, a analogia é perfeita.

Justin Lin tem uma chance aqui para levar Jornada em uma direção totalmente nova e ele seria louco se não pedisse a Ronald D Moore para, pelo menos, dar uma olhada no script. O que ele fez com Battlestar Galactica foi nada menos algo de gênio e não é nenhum segredo que ele ficou um pouco frustrado por não conseguir fazer com Jornada o que ele queria. Moore conhece Jornada, ele conhece Sci-Fi e ele sabe como tirar de algo cafona e torná-lo incrível.

  1. Diálogos inteligentes

diálogoNão é nenhum segredo que a série original era mais ficção do que ciência e continuou assim até que A Nova Geração, numa decisão consciente, trouxe a ciência de volta ao Sci-Fi. Mas uma coisa que foi consistente em todas as várias encarnações das séries foi a qualidade do diálogo.

Ter experientes atores da Broadway e de Shakespeare, com a escrita que referenciou o próprio Shakespeare, houve um princípio de vocabulário inteligente e loquacidade. Com exceção muito estranha, porém, os novos filmes até agora têm sido mais emocionais do que Hamlet.

Os sinais iniciais não são exatamente incentivadores dada a equipe de roteiristas e suas credenciais anteriores, mas pode-se, pelo menos, segurar uma lasca de otimismo que o terceiro capítulo da franquia recém-renovada irá retornar a um paradigma mais eloquente de contar histórias.

É de se esperar que uma adequadamente atraente, envolvente e convincente história com abordagem científica possa ser construída de uma maneira condizente com origens tão auspiciosas, mantendo a unidade e visualmente interessante do estilo dos dois primeiros filmes de JJ Abrams. Esse filme, sem dúvida, aplacaria as massas febris de fãs de Jornada que foram marginalizadas, em seus pontos de vista. Seria também para atrair aqueles que tinham gostado dos dois filmes anteriores e introduzir ainda mais novos espectadores para o mundo de Gene Roddenberry.

Um conto forte vai ficar sozinho e viver muito tempo na memória. Mas os produtores passam esta oportunidade em favor das riquezas frívolas e fugazes por sua conta e risco, para os fãs não tardará em perpetuidade.

10. Uma experiência divertida

diversãoO primeiro filme da reinicialização tem muitas, muitas coisas erradas, mas foram perdoados os seus defeitos, pelo simples fato de ser um novo filme de Jornada.

Sim, houve a pequena questão de matar quase todos os Vulcanos, mas o que é um filme sem um pouco de drama e perigo?

Além da Escuridão embora tenha ido bem, foi sombrio. Milhares de mortos em ataques terroristas, incontáveis ​​corpos esmagados por prédios caindo, não havia quase nenhuma alegria em toda a coisa. Karl Urban fez o melhor que pode, mas havia muita animosidade e raiva no filme para seus bons e velhos comentários sulistas salvá-lo.

Sim, deve haver drama e perigo, mas ir ao cinema para ver um filme de Jornada deve ser uma experiência divertida, e não traumática. Como se observa, deve haver drama e suspense, mas que não seja necessariamente com matança indiscriminada e uma completa falta de empatia para com os mortos. Havia um ar de indiferença pela perda de vidas durante os primeiros filmes e que foi uma adição indesejável.

Andar na corda bamba, batendo em todos estes pontos e mantendo antigos e novos fãs felizes pode não ser uma tarefa fácil, mas pedir um bom filme com uma história decente não deve ser demais.

Fonte: TB

Paramount recebe crítica de site em Star Trek 3

Site Badass critica Paramount sobre Star Trek 3

 .

pine preocupadoO site Badass Digest, por meio do seu editor Devin Faraci, voltou a criticar o caminho que está seguindo a Paramount com relação a produção do próximo longa-metragem de Star Trek. De acordo com o Badass, uma das principais razões para Orci ser destituído de suas funções de direção foi porque a Paramount estar exigindo que Star Trek 3 parecesse mais como Os Guardiães da Galáxia.

Devin Faraci é um escritor pouco expressivo e construiu sua reputação mais como uma voz forte, e por vezes intransigente e ácida em suas críticas de cinema. Como fã tradicional de Jornada, Devin nunca viu com bons olhos a reinicialização por J.J. Abrams. E agora muito mais com o comando nas mãos de Roberto Orci. Mas ele tem também suas críticas quanto ao que pensa a Paramount em relação a franquia.

“Não há como voltar atrás. Aparentemente, o estúdio pensa que Star Trek 3 poderia se beneficiar seguindo a cartilha da Marvel quando se trata de criaturas estranhas e incomuns”, disse Faraci em seu artigo.

Na opinião de Devin, “Eles querem que o terceiro filme seja grandioso, e querem que ele seja incrível fora dos EUA, especialmente. Eles olham para Rocket e Groot (personagens de Os Guardiães) e então olham para Keenser e se perguntam por que não tem mais de um papel assim”.

Comentando sobre a saída de Orci na direção, disse. “Como eu falei, ouvi dizer que Orci ficou fora do filme em tudo, mas ele foi ao TrekMovie  e negou isso. Vamos ver”, disse Devin acrescentando, “Eu conversei com algumas pessoas e tenho ouvido duas narrativas diferentes sobre o que aconteceu no últimos dias: uma delas é que ele se demitiu porque as notas da Paramount em seu roteiro foram insustentáveis e a outra versão era que a Paramount interrompeu a produção há um mês e passou o tempo conversando com outros cineastas antes de tomar oficialmente a decisão de tirar Orci do projeto. Edgar Wright foi oferecido para dirigir, mas eu estou supondo que a sua experiência com O Homem Formiga  não o fez disposto a pegar filme inacabado de outra pessoa”.

“Talvez ambas as narrativas sejam verdadeiras. Gostaria de saber se Paramount basicamente forçou Orci a sair. Se ele decidiu largar foi uma surpresa para muitos membros de sua equipe de pré-produção. Mas o que teria feito ele parar? Qual foi a fonte da discórdia entre Orci e Paramount?”, indagou.

Quanto as lista de diretores comentou. “Qual a probabilidade de qualquer um desses nomes na lista se tornar diretor? Jones levou mensagem para o Twitter dizendo que esta foi a primeira vez que ele ouviu falar nisso, e embora lisonjeado ele está muito ocupado com Warcraft”

“O site Deadline acha que Wyatt é o favorito, com The Gambler e sua experiência em  Planeta dos Macacos: A Origem, bem como o cara certo para fazer um filme scifi inteligente. Espero que isso seja verdade. Eu acho que muitos desses nomes – como Justin Lin – são nomes na lista de desejos, não pessoas reais na disputa para o trabalho”, assinalou.

Mas Devin não é contrário a usarem aspectos de outros filmes em uma produção de Jornada, “Estranhamente, eu acho que poderiam usar aspectos de Os Guardiães como um modelo para um  filme de Jornada. O que fez dar certo esse trabalho (da Marvel) no cinema foi a maneira do humor e caracterização fundidas com a ação forte e grande, e idéias divertidas. A tripulação da Enterprise não é de heróis galácticos, mas muitas das melhores histórias de Jornada tem uns e outros desses aspectos. É claro que eu tenho certeza que não é isso que a Paramount pretende quando eles usam Os Guardiães como uma referência. Ainda assim, este pode ser o momento de chegar com Harry Mudd na tela”.

Para Devin, Orci e a Bad Robot são os responsáveis por todo esse clima sombrio em torno da produção do filme. “Se é por isso que Orci saiu, ficarei decepcionado com ele. Se o estúdio está pressionando para fazerem um filme que eles sentem que não será propriamente de Jornada (e esse é o cara que escreveu Além da Escuridão,um dos filmes menos sobre Jornada já feito), abandonar o caminho é o certo a seguir? Por que não ficar e lutar uma boa briga com o estúdio? Orci disse que ele ainda vai estar envolvido, mas, considerando a situação atual do filme é tudo culpa dele – um ano atrás, ele se colocou como um obstáculo para novos diretores vindo a bordo, suas brigas com o estúdio deixou o filme sem roteiro, e muito atrasado no processo – Eu me pergunto o quão feliz a Paramount está em ter sua intromissão? É claro que muito disso se resume na Bad Robot, que ainda está produzindo o filme, por isso, talvez a Paramount tenha tanto a dizer. Também é difícil imaginar um cara que não tenha nenhuma experiência de direção recebendo uma oportunidade de dirigir este filme – o filme do 50º aniversário para uma franquia que ele diz amar – e apenas ir embora assim”.

Por fim, Devin mostra preocupação com o futuro desse projeto, “Eu não vou mentir: não sei como me sinto neste momento. Todo o processo parece um pouco ferrado, e o tempo não está do lado do filme agora. Eu não acho que  Star Trek 3 tenha uma data de lançamento oficial, mas isso simplesmente tem que ser em dezembro, se eles estão começando do zero neste momento. Alguns dos nomes nessa lista da Paramount me assusta – Eu gosto de Justin Lin, mas ele não é o cara para este filme. Wyatt é, sem dúvida, a melhor escolha, e embora eu duvido que seu The Gambler vá fazer uma boa bilheteria, mas é bom senso para ele vir para um filme que, pelo menos, tem uma chance de ser um grande sucesso”.

O que você acha disso? 

Fonte: badassdigest.com – ComicBookMovie – TB